Arquivo - Categoria: entrevistas

Cinco perguntas para o DJ Assault

  Craig Diamonds (aka DJ Assault) é uma lenda de Detroit. Se no final dos anos 1970, o Afrika Bambatta combinou o som eletrônico do Kraftwerk com as batidas pulsantes do funk para criar o hip-hop, foi Assault o responsável por unir (e acelerar) os dois universos: nascia o “funk acelerado”, ou “booty bass” para(…)

Cinco perguntas para Leo Justi

Leo Justi é filho de um oboísta e de uma pianista, mas prefere mesmo um bom batidão. Cabeça do supergrupo Heavy Baile, em 2016 ele encontrou sua alma gêmea quando produziu “Bandida”, o (ótimo) disco de estreia da MC Carol. A dupla ganhou fama internacional e se apresentará em Nova York na festa “Fluxo: Funk Proibidão”(…)

Cinco perguntas para Katz Rochlitz

O pianista, compositor e letrista Katz Rochlitz, que integrou diferentes bandas e formações desde o início dos anos 80 como a banda Stigmata e que vive em um trânsito entre Berlim e São Paulo, comanda uma seleção musical que vai das inspirações da synth wave ao rock. No próximo sábado (4), ele lse apresenta no(…)

Cinco perguntas para Fabiana Caso

Fabiana Caso é jornalista, pesquisadora musical e editora de música. No ano passado, ela criou a festa Néonloop que mistura sets de cold wave, no wave, new wave, minimal synth, entre outras atmosferas sônicas de inspiração sintética. No próximo sábado (4), ela levará suas descobertas sonoras no Cabaré Synth que acontecerá no Lourdes. O 120BPM fez cinco perguntas para Caso. ★ UM(…)

Cinco perguntas para Adilson Ramachandra

Adilson Ramachandra, 44, é pesquisador musical e editor de livros. Em 2015, ele foi responsável pelo lançamento de “Publikation”, biografia da banda alemã Kraftwerk. Em seus sets, Ramachandra mixa o passado e presente musical em tracks que passam pelo pós-punk e pela música eletrônica analógica. No próximo sábado (4), ele trará seu garimpo sonoro no Lourdes. Fizemos cinco(…)

Cinco perguntas para Luisa Puterman

Fã de Brian Eno e John Cage, os sets de Luisa Puterman são sempre imprevisíveis e mesclam uma gama de sons captados pela artista. “Nunca tive nenhum tipo de limite estético. Meu lance sempre foi estar junto e tocar”, afirma. A paulista conta que aprimorou suas habilidades ao vivo na temporada que passou na edição 2015 do Red(…)

‘Estamos mais próximos do universo da arte contemporânea’, diz Chico Dub, curador do Novas Frequências

Começa neste sábado (3) a sexta edição do festival de música experimental Novas Frequências que ocupará a cidade do Rio de Janeiro com performances de 45 artistas de 15 países diferentes. A grande novidade deste ano é a parceria dos organizadores com o SHAPE, uma plataforma voltada para música, a arte sonora e a performance audiovisual(…)

Cinco perguntas para Camilo Rocha

Além de ser um dos pioneiros em cobrir música eletrônica no Brasil, o jornalista Camilo Rocha, 48, compartilha suas descobertas musicais nas pistas. Sua paixão pela disco music e vertentes poderá ser conferida neste sábado (3), onde ele tocará na última festa Tenda do ano. O blog fez cinco perguntas para o DJ. ★ UM verso memorável numa canção.(…)

Cinco perguntas para Equinoxious

O mexicano Rogelio Serrano bebe da inesgotável fonte do synthpop para criar as faixas do seu projeto Equinoxious. Fã de ficção científica, o jovem de 25 anos se inspira no poeta chileno Vicente Huidobro (1893 –1948) para compor suas letras quase sempre abstratas. Seu live pode ser conferido no primeiro Synth Fest, que acontecerá no Templo(…)

5 perguntas para Fernando Molina

Fernando Molina, além de ser um ótimo ilustrador também cria música. Seu projeto Model Nice mixa house com música ambiente e vale o clique. Neste domingo (30), ele se apresentará às 17h na festa S*LAR, organizada pelo 120BPM no Elevado. O blog fez cinco perguntas rápidas para ele. ★ UM verso memorável numa canção. “Nunca tenha(…)