Sob chuva, Warpaint faz show morno em SP

Por Alex Kidd
Warpaint-compressed
Stella Mozgawa (bateria e voz), Theresa Wayman (guitarra e voz),  Jenny Lee Linberg (baixo e voz) e Emily Kokal (guitarra e voz) formam o Warpaint (Foto: Divulgação).

De supetão, as garotas do Warpaint anunciaram dois shows a serem realizados no terraço do Museu de Arte Contemporânea de São Paulo. As apresentações (esgotadas) abrem a temporada do “Art of Heineken”, novo projeto da marca de cerveja que levará festas com shows ao MAC até março. O 120 BPM conferiu nesta última sexta (3) a primeira performance de Emily, Theresa, Jenny e Stella.

O quarteto subiu às 22h ao pequeno palco montado no terraço do MAC. A chuva moderada não impediu os fãs de correrem para o gargarejo. A primeira metade (morna) do show apostou em canções dos álbuns “The Fool” (2010) e “Warpaint” (2014). O single “Undertow”, segundo a banda uma homenagem a “Polly”, do Nirvana, esquentou os ânimos, mas foram as canções de “Heads Up” (2016) que arrancaram pulos dos fãs.

A animação acendeu um fogo na vocalista e guitarrista  Theresa Wayman, que desligou a postura blasé e se entregou à empolgação das dezenas de pessoas presentes. A capacidade de público do terraço do MAC é de 490 pessoas, mas o espaço não estava lotado.

“Tragam-nos de volta para um show em que mais pessoas possam vir!”, suplicou a guitarrista Emily Kokal antes do quarteto encerrar a noite com a trilogia dançante “Disco//Very”, “New Song” e “So Good”. Milagrosamente a chuva parou. O momento só perdeu para a regulagem morna do som que anulou a potência do baixo (à la Peter Hook) da musa Jenny Lee Linberg.

Às 23h45 elas saíram do palco e não voltaram para o bis.